segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Um Papo com JOYCE: "INDEPENDÊNCIA É VIDA!"

JOYCE 1 A violonista, compositora e cantora carioca Joyce leva simultaneamente carreira bem sucedida no Brasil, Europa e Japão. Está lançando no Brasil o DVD Joyce Ao Vivo (EMI), o segundo da carreira, gravado ao vivo em São Paulo e com diversas participações especiais. Em entrevista ao ACORDES, a artista fala do novo trabalho e das vantagens de atuar no segmento independente.

Por Toninho Spessoto

Toninho Spessoto – Quando você começou a pensar no DVD, de cara surgiu a EMI?
Joyce – Não, a negociação foi feita pelo Roberto de Oliveira, diretor do DVD e dono da produtora RWR. Primeiro gravamos tudo (no Teatro Fecap, São Paulo, em meados de 2008). Depois negociamos.

TS – Você não tem mais contrato com gravadoras desde 1983, de lá pra cá negocia obra a obra. Qual a vantagem disso?
Joyce – Ser dona do meu próprio nariz. Há muito não vejo vantagem em ser contratada desta ou daquela gravadora, pelo menos no Brasil. Tenho um contrato na Inglaterra, com a FarOut, mas é por obra. Trabalho por empreitada. O modelo de gravadoras como conhecemos estava falido desde os anos 80, isso era muito claro pra mim. Já vinha tendo aborrecimentos com majors desde essa época. O sucesso era ligado diretamente ao jabá, ao que os americanos chamam de payola, só que lá dá cadeia, e aqui fica por isso mesmo.

TS – Como faz para trabalhar simultaneamente com vários mercados?

Joyce – Basta ter organização. Voltando à questão da FarOut, faço muitas coisas com eles, sempre com a opção de ter a master para negociar com o Brasil. Estou com um novo disco pronto, Samba, Jazz e Outras Bossas, que deverá sair em breve aqui. É um trabalho basicamente instrumental, meu e do meu marido, o Tutty Moreno (baterista).

JOYCE TS – O novo DVD é basicamente de canções. Qual o motivo?
Joyce – Gosto de trabalhar com repertório de canções, é algo que me dá muito prazer. Queria dar um panorama da minha obra, mas sem cair na mesmice da ‘releitura de sucessos’. Então dividi a coisa assim: nos números com os músicos, apenas canções inéditas. Com os convidados, releituras. A exceção foi Clareana, que coloquei no roteiro pras pessoas cantarem junto. E foi muito bonito!

TS – Qual foi o critério usado para a escolha dos convidados?
Joyce – Afinidade. Sempre gostei de trabalhar com João Donato, Leila Pinheiro, Dori Caymmi, Roberto Menescal, Zé Renato, Francis Hime. E tive o privilégio de pela primeira vez cantar com a Mônica Salmaso, que tem uma voz deslumbrante. E cantar com as minhas filhas, Clara Moreno e Ana Martins, é sempre uma emoção.

TV – Clara e Ana. Clareana. Isso traz à memória o disco Feminina, de 1980. Como você explica o poder de catarse que esse álbum exerce nas pessoas até hoje?
Joyce – Olha, não sei explicar, mas é algo que me impressiona. É comum as pessoas virem me dizer ‘esse disco marcou demais a minha vida’. Pra você ter uma idéia, o Marcos Valle me disse no final do ano passado que Feminina o fez voltar ao Brasil, ele ouviu o disco em Los Angeles, na casa do Laudir de Oliveira (percussionista brasileiro que tocou com o grupo Chicago). Foi uma espécie de chamado de volta. É muito louco isso!

TS – Há explicação para o sucesso de Clareana?

Joyce – Acho que a simplicidade. Na verdade, a canção foi inscrita no festival MPB 80, da TV Globo, pela EMI. No dia seguinte à primeira apresentação, as rádios passaram a receber pedidos e mais pedidos pra tocar Clareana. Foi impressionante!

JOYCE TS – Feminina é o seu disco mais importante?
Joyce – É, mas gosto muito também de Astronauta (de 1998, com canções do repertório de Elis Regina), Ilha Brasil (1996) e Gafieira Moderna (2002). São discos fortes, coesos, muito interessantes.

TS – Mas você tem outros trabalhos também emblemáticos como Passarinho Urbano, Joyce (o primeiro da carreira), Joyce & Nelson Ângelo...
JoycePassarinho Urbano (1975) foi o meu primeiro projeto feito fora do Brasil, eu excursionava pela Europa com Toquinho e Vinícius de Moraes. Foi gravado na Itália para a Fonit Cetra e produzido pelo Sérgio Bardotti. É um disco bem panfletário. No Joyce, (1968) a compositora é bem melhor que a cantora, ainda estava amadurecendo. O repertório é lindo, tem Chico Buarque, Francis Hime, Toninho Horta, Marcos Valle, Paulinho da Viola. No Joyce & Nelson Ângelo (1972) eu participo basicamente como cantora, é um disco pré-Clube da Esquina.

JOYCE 2 TS – Voltando ao DVD, será lançado no Exterior?
Joyce – A bola está com a EMI, vamos ver o que rola. Na verdade, esse trabalho comemora meus 40 anos de carreira. Queria mesmo era fazer um songbook, aprovei o projeto na Lei Rouanet (Lei de Incentivo à Cultura), mas não consegui captação, infelizmente. O DVD fazia parte do projeto. Acabamos ficando só com ele.

TS – Vai fazer turnê de lançamento?
Joyce – Francamente é mais fácil tocar na Estônia que em Belém do Pará. Certamente farei turnê pela Europa, Estados Unidos e Japão, mas por aqui está tudo indefinido por enquanto. Mas o certo é que me apresentarei nos dias 27 e 28 de fevereiro e 1º de março no Teatro Fecap, em São Paulo.

Site Oficial: www.joyce-brasil.com
Fotos: Divulgação

4 comentários:

*LIS disse...

Muito bom!
Cada vez mais admiro a Joyce. Outro dia vi na tv do Sesc um show de comemoracao dos 50 anos da bossa, com Roberto Menescal, Joao Donato, Miucha, Giana Viscardi, Joyce, entre outros e me encantei com o quao a voz dela, depois de todos esses anos soa tao limpa, delicada... sem duvida a mais doce dentre as ali apresentadas.
Tambem me chamou o atencao a presenca de palco que parece melhorar com o passar dos anos.

A entrevista ficou muito legal!=D
Parabens!

Ju Marinello disse...

Joyce é uma guerreira!
Nunca se rendeu a "mídia" e seu trabalho cada vez mais dá frutos.
Sonoridade deliciosa! Adoro!

GIBA ESTEBEZ disse...

Parabens Toninho pela matéria. eus Giba Estebez( www.gibaestebez.com.br) e gostaria de apresentar para você o meu trabalho chamado"B3 organ trio".Estamos lançando o cd e gostariamos de participar do programa PAPO DE MÚSICO. Aguardo a sua resposta e obrigado pela atenção.

REGGINA MOON disse...

Toninho,

Parabéns pelas ótimas postagens...voltarei sempre para me manter atualizada dos assuntos musicais, que tb amo muito...

Grande beijo!

Reggina Moon

(kd sua listinha de Seguidores?rs)